O preço dos combustíveis atingiu novos máximos este ano e quem anda de carro sente esse aumento na carteira e no orçamento mensal. E, mesmo com a descida anunciada pelo Governo no Imposto sobre os Produtos Petrolíferos e Energéticos, os preços dos operadores permanecem em níveis proibitivos, tornando cada vez mais importante optar uma condução que permita poupar combustível.

Mas, claro, nem sempre se pode simplesmente parar o carro, sobretudo se residires ou trabalhares em zonas que não são (ou são mal) servidas por transportes públicos. Por isso, se não consegues gastar menos na bomba, tenta ir à bomba menos vezes. Para tal, segue estas dez dicas como se de mandamentos se tratassem: vais ver que vais notar a diferença.

10 dicas para poupar combustível

1. Atenção à pressão dos pneus

Os pneus são habitualmente componentes muito maltratados por quem tem um automóvel. Mas além de rodas em borracha, eles interferem em muitas características do carro, como nas prestações e, claro, nos consumos. Por isso, certifica-te, pelo menos uma vez por semana, se a pressão é aquela que é recomendada pelo fabricante – vais encontrar esta informação na ombreira da porta do condutor, no interior do tampão de combustível ou no manual de instruções do carro. Na altura de mudar de pneus, lembra-te: os que revelam menor resistência ao rolamento serão sempre os mais amigos dos baixos consumos.

Como escolher os melhores pneus para o teu carro

2. Usa o combustível recomendado

É verdade que tanto a gasolina como o gasóleo aditivados parecem mais apetecíveis. Até os bonequinhos das etiquetas são mais atraentes. Mas a maioria dos automóveis foi desenvolvido para usar os combustíveis convencionais. De qualquer das formas, antes de encheres o depósito, certifica-te que estás a usar o líquido certo.

3. Verifica o nível do óleo e do líquido de refrigeração

O consumo não aumenta apenas porque carregas com mais força no acelerador. O aquecimento em excesso e a fricção interna também terão efeitos no consumo. Para evitares este cenário, verifica regularmente os níveis do óleo e do líquido de refrigeração. Não te esqueças: também aqui deves seguir as recomendações do fabricante em relação aos produtos de substituição e respeitar os períodos de manutenção.

Artigo relacionado: Óleo mineral ou sintético: qual o melhor para o teu carro?

4. Limpa o carro

A maioria dos automobilistas acumula tralha no interior do automóvel. Se és desses, faz uma vistoria e tira tudo o que está a mais. Não falamos do kit básico de ferramentas ou daquela lanterna que pode fazer uma grande diferença no caso de uma avaria a meio da noite em nenhures, mas os papelinhos, revistas, saco do ginásio com roupa suja ou a meia dúzia de garrafas de água meias vazias não estão lá a fazer nada. E cada grama faz a diferença. A conta não é difícil de fazer: mais peso, maior consumo.

5. E despe-o…

As barras de tejadilho são bonitas, mas, exceto se estiverem a ser usadas, são basicamente peso morto, além de criarem resistência ao ar, o que prejudica prestações e consumos. Nesta categoria está ainda a bola de reboque. Se não vais rebocar nada, guarda-a!

6. Fecha as janelas

A resistência ao ar é um dos fatores que mais contribui para gastar mais combustível. Por isso, opta por circular de janelas fechadas sempre que o tempo o permitir. E mesmo no Verão, quando o calor apertar, por vezes é mais económico usar o ar condicionado do que abrir as janelas: faz experiências e tenta perceber de que maneira o teu carro gasta menos.

7. Planeia as viagens

A aventura pode ser aliciante, mas cara. Basta que vires no sítio errado para que uma viagem de 5 quilómetros se transforme numa de 7 ou 8. E quanto mais andas mais gastas! Por isso, consulta uma qualquer aplicação que te ajude a encontrar a rota mais curta e rápida (não vale de nada ser a mais curta se te obrigar a ficar parado). Se conseguires, foge das chamadas horas de ponta.

Artigo relacionado: 4 carros elétricos usados até 10.000€

8. Desliga o carro

Se o teu carro tem sistema de paragem e arranque automáticos, faz uso dele. Pode parecer uma chatice, mas faz uma diferença muito grande. Se porventura não tem, trata tu de o desligares sempre que sabes que vais ficar parado. Mesmo que seja só um minuto.

9. Trata os pedais com suavidade

Acelerações rápidas podem ter graça, mas a conta a pagar é cada vez mais pesada. Da mesma forma, travagens bruscas são de evitar. A melhor maneira de controlar o consumo passa pela antecipação, ou seja, se sabes que o sinal vai fechar e ainda estás longe começa logo a tirar o pé do acelerador. Também a passagem de mudança deve acompanhar o motor: aprende a ouvi-lo.

10. Não conduzas em excesso de velocidade

Com todos os radares acabadinhos de estrear, refrear a vontade de acelerar já era imperativa. Mas com os preços dos combustíveis tão elevados o melhor é andar devagar. Por exemplo, circular acima dos 100 km/h faz aumentar a resistência do vento e, consequentemente, o consumo do carro. Se diminuíres a velocidade de cruzeiro em cerca de 10 km/h vais conseguir reduzir o consumo de combustível em até 15%.


Próximas leituras:

Franquia mais alta ou mais baixa? O que deves saber
A franquia é um dos fatores mais importantes na definição do valor …
Quebra isolada de vidros – O teu seguro inclui?
O seguro com cobertura de quebra isolada de vidros não é obrigatório …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *