Numa distração, riscaste a pintura do carro ou arranhaste o para-lamas traseiro enquanto o estacionavas junto a uma parede. Ou, um descuido alheio fez com que, depois de estacionado ao teu lado, alguém deixasse descair a porta contra a tua viatura. Pior: num enorme ato de má-fé, alguém deixou o seu carimbo no teu automóvel. Seja qual for o motivo, ter riscos, mais ou menos vincados, um pouco por todo o carro não é uma situação estranha. Mas, boas notícias: também não é difícil de reparar e, caso seja superficial, é algo que pode sair mesmo muito barato.

Como disfarçar pequenos risco na pintura do carro

1 – A magia do polish

É daqueles produtos que devíamos ter sempre à mão. Até porque, quando se trata de arranhões na pintura, basta um pouco de polish para o carro ficar como novo. Aplica uma quantidade generosa do produto, que tanto podes encontrar em lojas dedicadas aos automóveis como em praticamente qualquer oficina, diretamente sobre os riscos. De seguida, puxa o lustro com um pano de camurça. E, tcharan!, o teu automóvel parece que acabou de sair do stand!

2 – Lixar e polir

O polish é mágico, mas, infelizmente, nem todos os riscos se resolvem com este produto. No caso de riscos mais profundos, mas não o suficiente para atingirem a chapa, o processo passará por lixar e polir.

Começa por colocar o carro à sombra e escolhe um momento em que não esteja demasiado calor. Depois, mergulha uma lixa de grão muito fino em água e, de seguida, passa sobre o local “ferido” com uma pressão muito suave (este é daqueles trabalhos em que o melhor é não ter pressa). Interrompe o processo quando a superfície exibir uma tonalidade baça.

Aplica uma massa de polimento por toda a área que foi lixada, executando movimentos circulares. Certifica-te que toda a área está bem preenchida antes de dares a tarefa por terminada.

Finaliza limpando com um pano seco de camurça e aplica uma camada de cera específica que irá devolver o brilho ao automóvel.

3 – Polimento geral

Se deixaste os riscos acumularem-se e não foste tratando do assunto à medida que eles foram surgindo, provavelmente terás de dar um polimento geral ao automóvel, um processo que não tem só vantagens, já que irá danificar camadas de verniz, e que, por isso, deverá ser um último recurso, executando-o muito raramente.

Tal como no processo de lixar e polir, o carro deve ser colocado à sombra e a tarefa deverá ser reservada para um dia de pouco calor.

Começa por lavar o carro, recorrendo a detergentes e escovas específicas para cada superfície. Elimina qualquer resquício de espuma e deixa o carro secar bem, passando um pano para ajudar, antes de iniciares o trabalho de recuperação.

Quando, finalmente, o carro se apresentar completamente seco, usa uma massa de polimento de grão fino para remover riscos superficiais. De seguida, aplica o milagroso polish por toda a pintura, fazendo-o sempre com movimentos circulares. Termina, puxando o lustro com um pano de camurça.

4 – Tem uma oficina de confiança à mão

Quando o risco não só arranha a pintura como atinge a chapa, então não haverá jeitinho que te valha. E é então que se valoriza ter sempre uma oficina de confiança, onde se executem trabalhos multidisciplinares, da mecânica aos cuidados com a estética.

Artigo relacionado: Amortecedores: como saber se estão em condições

É que, quando o risco atinge a chapa, todo o painel onde a falha se encontra terá de ser trabalhado, separando-o do resto do carro e retirando todas as camadas que se encontram sobre a chapa, do verniz ao aparelho. Depois de a chapa à mostra, usar-se-á massa para preencher a irregularidade e, depois de esta secar, passar ao processo de devolver cor e brilho ao automóvel, aplicando, por ordem, aparelho, pintura e verniz e usando uma estufa própria para secar o painel trabalhado.

No fim, para dar uma certa uniformidade à pintura, poder-se-á realizar um polimento geral, como explicado mais acima: usar uma massa de polimento de grão fino para remover riscos superficiais e, depois, aplicar polish por toda a pintura, puxando no fim o lustro com um pano de camurça.


Próximas leituras:

Como funciona um motor de injeção direta?
Ao introduzir a mistura ar/combustível diretamente dentro dos cilindros, os motores de …
Está na altura de mudares a panela de escape do carro?
Como a maioria das peças para automóveis, a panela de escape pode …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.