A função do radiador é essencial – arrefecer os líquidos que mantêm a temperatura do motor do automóvel num nível ideal, evitando danos graves devido ao sobreaquecimento. Por isso, está atento e sabe como detetar eventuais fugas.

Nos carros mais antigos, o radiador é em ferro ou aço, podendo estar sujeito a corrosão, em especial se usas água da torneira em vez de um líquido refrigerante apropriado. Nos veículos recentes, os radiadores são maioritariamente em plástico e alumínio, podendo durar centenas de milhares de quilómetros. De qualquer modo, deves sempre usar um fluido específico, porque, com água da torneira, as altas temperaturas de funcionamento do motor e posterior arrefecimento dão origem à formação de depósitos de calcário (veja-se o caso de recipientes usados para ferver a água).

Procuras um radiador para o teu carro? Procura no OLX

Há, porém, situações que, mesmo com todos os cuidados, não podemos evitar, tais como quando uma pedra solta na estrada provoca um furo no radiador. Então, como podes detetar esses casos?

1. Vê se há manchas de água ou líquido debaixo do carro

Quando estacionares, está atento à existência de água no chão debaixo da zona do motor. O mais normal e frequente é serem o resultado de condensação no ar condicionado (em especial em dias mais quentes), o que não é motivo de preocupação. Porém, mais raramente, as poças poderão ser causadas por fugas ou avarias no radiador. Se as manchas forem da cor do líquido refrigerante, então estás perante um problema que requer solução imediata.

2. Verifica com regularidade o nível do líquido refrigerante

O fluido refrigerante do radiador está armazenado num reservatório que têm indicação dos níveis mínimos e máximos da quantidade requerida. Se, com o motor a frio, nas verificações periódicas, notares que esse nível está a descer, então provavelmente há uma fuga no radiador ou nas tubagens.

3. Controla a temperatura do motor

A função do radiador é não deixar que a temperatura do motor do carro se eleve para além do aconselhável (normalmente, a temperatura ideal de funcionamento do motor são 90°C). A grande maioria dos automóveis dispõe de indicadores de temperatura no painel de instrumentos, pelo que é fácil controlares se esta se mantém nos parâmetros normais. Em alguns veículos, porém, esse indicador não existe e só aparece um símbolo luminoso a vermelho de um termómetro, para avisar um sobreaquecimento.

Nesse caso (e numa situação em que o indicador apresenta uma temperatura elevada), deves parar imediatamente a viatura, deixá-la arrefecer (abrindo o capot para arejar e baixar a temperatura do motor) e vê se consegues detetar uma fuga na zona do radiador. 

Depois de o carro arrefecer, se puderes e o tiveres disponível, acrescenta líquido de refrigeração no depósito e, em velocidade moderada, leva o carro até à próxima oficina. 

Outra situação que origina o sobreaquecimento é a junta da cabeça do motor deteriorada (a junta da cabeça impede a entrada dos líquidos de refrigeração no corpo do motor).

Se a luz continuar acesa ou se a temperatura se mantiver elevada, não deves prosseguir viagem e chama um reboque.

4. Faz manutenções periódicas ao teu carro

A melhor maneira de evitares problemas, não só no radiador, mas nos outros componentes do automóvel, é fazeres periodicamente a revisão e manutenção do teu veículo. Se não o fizeres, poupas uns euros no imediato, mas irás seguramente gastar mais no futuro. É que a grande maioria das potenciais avarias podem ser detetadas a tempo.

Artigo relacionado: Correia do alternador: quando deve ser trocada

No que toca ao sistema de refrigeração, se excluirmos os furos acidentais no radiador provocados pelo embate de objetos, a maior parte das avarias são causadas por furos nas tubagens ou fugas nas junções, algo que pode ser resolvido facilmente.

A temperatura excessiva pode levar à queima de juntas, derretimento de mangueiras, empenamento de pistões e, em última instância, até fundir o motor. Num caso desses, para evitar males maiores, logo que ocorra um aumento excessivo da temperatura do motor, a melhor solução é levares de imediato o carro a uma oficina, pelos próprios meios ou utilizando um reboque, para que aí verifiquem a origem da anomalia e procedam à sua reparação.

Se, porém, percebes de mecânica e consegues detetar a causa da avaria, podes tu próprio repará-la, substituindo tubagens, apertando braçadeiras ou reparando os furos no radiador. 

Para reparar as pequenas fugas no radiador, podes adquirir numa loja da especialidade um produto tapa-furos e aplicá-lo de acordo com as instruções de utilização.


Próximas leituras:

5 dicas práticas de mobilidade mais sustentável
Descobre como adotar uma mobilidade mais sustentável com estas 5 dicas simples …
Como comprar um carro usado no OLX
No OLX vais encontrar o carro usado que procuras mas, antes de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.