A compostagem é um processo de valorização da matéria orgânica, que consiste na decomposição dos resíduos domésticos. Dá-se por ação de microrganismos que, na presença de oxigénio, originam a tal substância que conhecemos por “composto”.

O composto obtido poderá ser utilizado como adubo, uma vez que melhora a estrutura do solo. Para além de possuir fungicidas naturais, ajuda a eliminar os organismos patogénicos que perturbam o solo e as plantas.

Não precisas de ser um técnico especializado no tema para fazer a tua própria compostagem caseira. É um processo muito simples, económico e sustentável. Podes utilizar o composto numa horta, quinta, jardim, vasos ou floreiras que tenhas aí em casa.

Vê aqui como criar um jardim vertical!

Conhece as vantagens da compostagem caseira

Desde as cascas das batatas, a borra do café ou restos de pão, quase tudo serve para criar composto – um material orgânico com aspeto de terra, escuro, sem odor e com excelentes qualidades fertilizantes. 

A capacidade nutricional vai depender da qualidade dos resíduos utilizados. Este material promove a melhoria das condições do solo em termos de estrutura, porosidade, fertilidade, capacidade de retenção da água, arejamento e atividade microbiana.

Para além de tudo isto, é uma excelente alternativa aos fertilizantes químicos e permite reduzir a quantidade de resíduos que vão parar aos aterros.

Como fazer compostagem caseira

O material necessário para te aventurares na compostagem é:

A escolha do compostor não é um bicho de sete cabeças!

Não precisas necessariamente de um compostor muito complexo. Apenas de um local onde amontoar o material, de preferência entre 60 centímetros e 2 metros de diâmetro. E podes ser tu próprio a construí-lo:

Compostor duplo:

  • No interior de um caixote de lixo, coloca dois tijolos;
  • Coloca um outro caixote, mais pequeno, por cima dos tijolos. Este deve estar perfurado por baixo e nos lados.

Compostor de madeira:

  • Para armazenares os resíduos, pega em três paletes e prega-as umas às outras;
  • Numa outra palete, aplica dobradiças para fazeres uma porta e facilitares a retirada do composto, quando pronto;
  • Se o local for propício a grandes mudanças de temperatura, podes ainda usar uma outra palete para servir de tampa;
  • Escolhe um local de fácil aceso, em cima de terra, para facilitar a drenagem da água e a entrada de microrganismos benéficos do solo na compostagem.
Mulher a cuidar das plantas

O passo a passo da compostagem caseira

Apesar de ser um processo simples, exige cuidados. Se optares por resíduos de pequenas dimensões, mantiveres o nível ótimo de humidade e remexeres a pilha todas as semanas, vais ter o composto pronto em dois ou três meses.

  1. Reveste o fundo do compostor com ramos grossos, para que consigas permitir o arejamento necessário e impedir que o material depositado fique demasiado compacto;
  2. Faz uma camada de 5 a 10 centímetros de altura de resíduos castanhos, cortados em pedaços entre 3 e 7 centímetros, para maximizar a superfície de contacto com os microrganismos. As partículas demasiado pequenas limitam a circulação de oxigénio e água;
  3. Adiciona uma mão cheia de terra ou composto acelerador, para garantir o arranque do processo;
  4. Adiciona uma camada de resíduos verdes;
  5. Cria outra camada de resíduos castanhos e repete o processo até teres uma pilha de um metro. Nota que sempre que adicionas uma nova camada, deves humedecer levemente a anterior;
  6. A última camada deve ser sempre de resíduos castanhos, para evitar a proliferação de odores, insetos e outros animais indesejáveis.

O que posso transformar em composto?

  • Resíduos verdes: São ricos em azoto e geralmente húmidos.
  • Resíduos castanhos: São ricos em carbono e secos.
  • Em pouca quantidade: Restos de pão e de alimentos cozinhados sem gordura, podem ser usados na compostagem, tapando com terra. Se o fizeres em grandes quantidades podes atrair ruminantes para o teu compostor. Restos de papel ou tecido também podem ser úteis para eliminar excesso de humidade.

Resíduos a compostar

VerdesCastanhos
– Folhas verdes
-Ervas daninhas sem sementes
– Flores
– Aparas de relva frascas
– Restos de vegetais e frutas
– Borras de café, incluindo os filtros
– Folhas e saquetas de chá
– Cascas de ovo
– Restos de vegetais crus
– Cascas de fruta
– Arroz e massa cozinhados
– Cereais
– Folhas secas
– Relva cortada seca
– Palha
– Feno
– Resíduos de cortes e podas
– Aparas de madeira e serradura
– Carumas
– Cascas de batata
Compostagem caseira no jardim

Nem tudo pode ser utilizado para a compostagem

  • Carne, peixe, lacticínios e gorduras: Provocam odores desagradáveis e inviabilizam o composto;
  • Excrementos de animais: Podem conter microrganismos patogénicos que sobrevivam ao processo de compostagem;
  • Resíduos de jardim tratados com pesticidas, medicamentos, tintas, pilhas e outros produtos químicos: As temperaturas da compostagem não eliminam substâncias tóxicas;
  • Plantas doentes ou infestadas com insetos: Podem passar as doenças e insetos para o composto;
  • Cinzas de carvão e ervas daninhas com sementes: Podem levar a culturas indesejadas;
  • Vidro, metal e plástico: Contaminam e inviabilizam o composto.

Fatores que influenciam a compostagem

O revolvimento da pilha de compostagem é imprescindível para que a matéria orgânica seja decomposta num ambiente aeróbio, ou seja, na presença de oxigénio. Uma das formas de arejar a pilha é remexer os materiais com um ancinho.

A periodicidade com que o composto deve ser remexido varia consoante diferentes fatores como a própria dimensão da pilha, o tipo e quantidade de materiais adicionados, entre outros.

A humidade é outro fator que influencia diretamente a compostagem. Os microrganismos que decompõem a matéria orgânica necessitam de humidade para se movimentarem na pilha. 

Podes testar a humidade retirando um pouco dos materiais presentes na pilha e apertá-los na mão. Se a humidade estiver ao nível ideal, devem escorrer-te algumas gotas de água pelos dedos.

A temperatura é o terceiro fator mais importante para o sucesso da tua compostagem doméstica. Esta varia em resultado do trabalho dos microrganismos presentes. O ideal é que permaneça numa temperatura de 55 graus.

A localização também é importante. Se vives num local com temperaturas elevadas, escolhe um espaço que proporcione sombra pelo menos uma parte do dia, evitando a secagem e arrefecimento rápido do composto. 

Se a chuva for frequente, cobre o composto da melhor forma possível, para evitar que o excesso de água prejudique a decomposição.

Reconhecer problemas, causas e soluções da compostagem doméstica

ProblemaCausa possívelSolução
Processo lentoDemasiados resíduos castanhos ou demasiado grandes.1. Adiciona resíduos verdes. Corta os materiais em pedaços mais pequenos.
2. Revira a pilha.
Cheiro a podre 
(libertação de amónia)
1. Humidade em excesso ou demasiados resíduos verdes.
2. Compactação.
1. Revira a pilha regularmente. Adiciona resíduos castanhos.
2. Se a pilha persistir em ficar húmida, remove a tampa em dias de sol.
3. Revira a pilha ou diminui o seu tamanho.
Temperatura muito baixa1. Pilha demasiado pequena.
2. Humidade insuficiente.
3. Arejamento insuficiente.
4. Falta de azoto.
5. Clima frio.
1. Aumenta o tamanho da pilha. Adiciona água com regador ao revirar a pilha ou cobre a parte superior da pilha. Tira a tampa do compostor quando estiver a chover.
2. Revira a pilha.
3. Adiciona resíduos verdes.
4. Aumenta o tamanho da pilha ou isole-a com material como palha.
Temperatura muito alta1. Pilha muito grande.
2. Arejamento insuficiente.
1. Diminui o tamanho da pilha.
2. Revira a pilha.
PragasPresença de restos de carne, peixe, ossos, molhos ou gordura.1. Retira esses alimentos da pilha e cobre-a com uma cama de solo ou resíduos castanhos. Podes usar um compostor à prova de roedores ou revira a pilha para aumentar a temperatura.
2. Se houver presença de formigas significa que a pilha está muito seca e deves regá-la.

Quando o composto estiver pronto, retira-o da pilha de compostagem, deixa repousar entre 2 e 4 semanas, a chamada fase de maturação, e podes começar a usá-lo.

Podes colocar 1/3 do composto por cada vaso, misturando com 1/3 de terra e 1/3 de areia, para obteres um bom meio de crescimento das tuas plantas.

A compostagem doméstica pode ser um pequeno passo para ti, mas um grande passo para o Planeta. Junta-te a nós nesta missão de tornar o mundo num lugar melhor.

Quando as tuas plantas começarem a dar frutos, partilha nas redes sociais e não te esqueças de marcar o OLX. Queremos conhecer a tua história!


Próximas leituras:

A tua casa está a afundar-se em pó? Estes aspiradores vão-te salvar!
Descobre que fatores deves ter em conta quando procuras aspiradores e qual …
7 livros de viagem para descobrires outros locais sem sair do sofá
Os livros de viagem são os nossos melhores amigos na hora de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *