O conceito é interessante e, cada vez mais, estamos abertos a soluções mais sustentáveis no âmbito de uma economia circular.

Desde reaproveitar produtos, dando uma nova vida a produtos usados, a reduzir a utilização daqueles que são descartáveis. Para além do benefício para o ambiente, é notória a diferença no teu bolso.

Os dados falam por si

De acordo com o relatório do Banco Mundial, só os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, geram 572 milhões de toneladas de lixo por ano, correspondendo a 44% da geração global.

Estes valores, onde a sociedade de consumo desempenha um papel fundamental, são enormes. No mundo, são contabilizados mais de 3,5 milhões de toneladas de resíduos por dia. Por ano, essa magnitude chega a 1,3 bilhão de toneladas.

Só em 2010, cerca de 65 mil milhões de toneladas de matérias-primas entraram no sistema económico, prevendo-se que se atinjam os 82 mil milhões de toneladas em 2020.

A título de exemplo, se recolhêssemos cerca de 95% dos telemóveis na União Europeia, teríamos uma poupança de mais de mil milhões de euros em custos de materiais de fabrico.

Só em Portugal, cada cidadão produziu, em 2017, produziu 1,3kg de lixo por dia. Segundo os dados da Agência Portuguesa do Ambiente, apenas 16% são recolhidos seletivamente para valorização. O destino é o aterro. Apenas 11% segue para reciclagem.

Com as medidas de prevenção dos resíduos, conceção ecológica, reutilização e outras assentes na economia circular, estima-se que se poderá gerar poupanças líquidas de cerca de 600 mil milhões de euros às empresas da União Europeia.

Parece um absurdo ainda não termos adotado e implementado todas estas medidas, não é?

Economia Circular: sabes como tornar o planeta ainda mais redondo?

E onde entra a Economia Circular?

Trata-se de um conceito estratégico que assenta na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia. Surge a proposta de novos fluxos circulares.

Não se trata apenas do incentivo à reciclagem. O conceito vai mais longe. Com uma visão mais ampla, promove o desenvolvimento de produtos e serviços economicamente viáveis e ecologicamente eficientes.

O conceito promove a compra e venda de produtos usados ou de peças para reparar eletrodomésticos, por exemplo, como medidas de reorganização da economia, através da coordenação dos sistemas de produção e consumo.

Quais as vantagens associadas?

Está claro para todos que os recursos naturais não são ilimitados. As sociedades modernas exigiram uma postura mais sustentável, com base numa economia mais verde.

A economia circular está, assim, no caminho para a mudança de paradigma, enfrentando os problemas ambientais e sociais, decorrentes da globalização.

Alguns dos seus benefícios a curto, médio e longo-prazo passam por:

  1. Volatilidade no preço das matérias-primas e limitação dos riscos de fornecimento;
  2. Novas relações com o cliente, programas de retoma, novos modelos de negócio;
  3. Melhorar a competitividade da economia – “first mover advantages”;
  4. Contribuir para a conservação do capital natural, redução de emissões e resíduos, e combate às alterações climáticas.

A economia circular assenta em 6 pilares:

  1. Design ecológico;
  2. Produção / reelaboração;
  3. Distribuição;
  4. Consumo;
  5. Reparação / reutilização;
  6. Reciclagem.

Por isso, é possível que já contribuas para a economia circular. Como?

Vamos apostar que disseste “eu faço isto!” a pelo menos dois dos exemplos que te mostramos. Mas se precisas de mais ideias para continuares a contribuir para uma economia tão circular quando o globo, aqui ficam mais 3 sugestões:

Economia Circular: sabes como tornar o planeta ainda mais redondo?

3 dicas para contribuíres para uma Economia Circular:

1. Reutiliza embalagens descartáveis

Transforma as tuas garrafas PET em vasos, reutiliza garrafas de vidro como jarras, reaproveita frascos para armazenar alimentos, etc.;

2. Separa o lixo

A reciclagem é algo que aprendemos desde a escola, mas, na verdade, as pessoas que levam essa aprendizagem para casa e a põe em prática, podia ser bem maior. Às vezes é só por preguiça. Não concordas?;

3. Utiliza os orgânicos

Há cada vez mais adeptos de pequenas hortas caseiras. Então, os descartes orgânicos podem servir como fertilizante natural.

Economia Circular: sabes como tornar o planeta ainda mais redondo?

Um pequeno passo para ti, um grande passo para o Planeta

Para além do objetivo de reduzir os resíduos, contribui também para evitar os danos irreversíveis causados, no que se refere ao clima e à biodiversidade, à poluição do ar, do solo e da água.

É necessário reduzir ao mínimo a criação de resíduos e favorecer a manutenção dos produtos, materiais e recursos na economia durante o maior espaço de tempo possível, procurando um novo modelo de produção e consumo.

Podes melhorar a tua qualidade de vida e tornar o nosso planeta mais redondo ainda. Bastam pequenos gestos e a revisão dos hábitos que temos no nosso quotidiano.

Pensa naquilo que podes reaproveitar, pensa em alugar equipamentos em vez de os comprar, opta por comprar equipamentos usados ou em reparar antigos, antes de adquirires novos. Se já não usas alguma roupa, um móvel ou um eletrodoméstico, coloca um anúncio e permite que o mesmo seja útil noutra casa.

Não é assim tão difícil. Só tens de dar o primeiro passo, por muito pequeno que seja. Mais vale feito do que perfeito, não é verdade?


Próximas leituras:

Mi Band 5: conhece o novo modelo da Xiaomi
A Mi Band 5 veio para ficar e traz ainda mais funcionalidades! …
Como escolher uma pulseira fitness e dar um boost aos teus treinos
Estás a pensar investir numa pulseira fitness, mas não sabes qual comprar? …