Atualmente, a sociedade respira plástico. A embalagem do detergente da loiça é de plástico, o saco que transporta os legumes é de plástico, os eletrodomésticos têm muitas vezes na sua estrutura plástico… até a nossa roupa é feita de plástico (quando na etiqueta está escrito Poliéster). Tudo é composto por plástico e torna-se quase impossível escapar a material!

O plástico é um polímero produzido a partir de processos petroquímicos. Ou seja, é um material obtido através do petróleo e que é composto por partículas minúsculas, monómeros, que todas juntas formam um polímero. A utilização massiva do plástico, que se tem verificado nos últimos anos, tem preocupado a sociedade porque o plástico demora centenas de anos a decompor-se e pode libertar químicos e partículas tóxicas para a nossa saúde.

Sabias que existem diferentes tipos de plástico?

No entanto, nem todos os plásticos são iguais. Certamente que em algum momento da tua vida já te apercebeste que existem diferentes tipos de plásticos. Existem plásticos mais resistentes do que outros; uns que são recicláveis e outros que não o são; uns que são prejudiciais para a saúde e outros mais seguros, entre muitas outras distinções. Por isso, é essencial que conheças os diferentes tipos de plásticos e possas dar-lhes uma utilização mais correta.

Tipos de plástico

Os diferentes tipos de plásticos são sinalizados através de um símbolo que te deve ser familiar: o símbolo de um triângulo com setas e um número no meio. Esse número permite-nos identificar o tipo de plástico que compõe aquele objeto e as suas implicações. Os plásticos são categorizados de 1 a 7, conforme as suas propriedades físicas – se é rígido ou flexível, mais leve ou pesado, etc -, a sua composição química – de que material é feito e se os seus compostos podem ser nocivos para nossa saúde ou não – e conforme se comportam a elevadas temperaturas.

Os plásticos que a altas temperaturas se derretem e permitem moldar e produzir novos produtos, ou seja, reciclar, são os termoplásticos. São os tipos de plástico representados pelos números de 1 a 6.

Os polímeros que a altas temperaturas não se fundem, sendo incapazes de originar novos produtos são os termofixos. São os plásticos que não são recicláveis e que são, normalmente, sinalizados com o número 7.

Que diferenças existem entre cada tipo de plástico?

Tipo 1 – PET

Este é o tipo de plástico que provavelmente melhor conheces. O Polietileno Tereftalato (PET) é um plástico transparente, muito difícil de partir, impermeável e leve. No entanto, este material apresenta um aspeto negativo: o seu processo de decomposição inicia-se muito rapidamente, fazendo com que os químicos que fazem parte da sua composição comecem a ser libertados muito cedo, especialmente quando expostos ao calor.

E esses químicos podem tornar-se altamente prejudiciais para a saúde quando em contacto com o nosso organismo. Por isso é que não devemos reutilizar as garrafas de água e, muito menos, deixá-las ao sol. A recomendação é que os objetos deste tipo de plástico sejam utilizados com moderação e de preferência uma única vez.

Exemplos de objetos onde este plástico está presente:

  • garrafas de água;
  • garrafas de sumos e refrigerantes;
  • frascos de condimentos;
  • fibras têxteis, caso do poliéster.

O plástico de  tipo 1 é reciclável e recomenda-se apenas para utilização moderada.

Descobre 7 dicas para dizeres não ao plástico de utilização única

Tipo 2 – PEAD (PH_DE)

O Polietileno de Alta Densidade (ou High Density Polyethylene) é um plástico semi-rígido muito semelhante ao PET por ser também difícil de partir, leve e impermeável. No entanto, é mais seguro porque não transmite nenhum composto para o seu conteúdo.

Por isso, é muito utilizado em:

  • cosméticos, os pacotes mais maleáveis;
  • embalagens de champô, amaciador e sabonete;
  • produtos de limpeza;
  • equipamento sanitário, como os autoclismos.

Este plástico pode ser feito através de petróleo ou de fontes vegetais, como o amido de milho e a cana-de-açúcar, sendo nesta situação considerado plástico verde. Este plástico apresenta propriedades muito semelhantes à do PEAD comum, mas o facto de ter origem vegetal permite diminuir os impactos causados pela indústria petroquímica na produção e comercialização deste plástico.

Resumidamente: o tipo 2 é reciclável e pode ser utilizado sem problemas.

Tipo 3 – PVC

O Policloreto de Vinilo (PVC) é um plástico rígido, impermeável e, por vezes, transparente. Sendo também um material muito resistente às variações de temperatura e praticamente inquebrável, é o tipo de plástico mais utilizado para as canalizações.

Embora seja reciclável, o PVC é um dos plásticos menos seguros porque, ao longo da sua utilização, liberta uma substância, a dioxina, que ao acumular-se no nosso organismo pode tornar-se cancerígena. Por isso, deves evitar ao máximo adquirir e utilizar este tipo de plástico!

O PVC está normalmente presente em:

  • cortinas do duche;
  • cartões multibanco e cartões cliente em diversas lojas;
  • toalhas de mesa plastificadas;
  • tubos de canalização;
  • mangueiras;
  • brinquedos.

Resumidamente: é reciclável, mas deve ser evitado porque é perigoso para a saúde!

Tipo 4 – PEBD (LDPE)

A seguir ao PET, o Polietileno de Baixa Densidade (PEBD) é provavelmente o plástico mais presente no nosso dia-a-dia. É um material muito fino, leve, flexível e impermeável. Ao ser utilizado não liberta compostos nocivos para a nossa saúde, sendo, por isso, um dos mais utilizados para o embalamento de alimentos.

Podes encontrar este tipo de plástico em:

  • sacos do pão, nos casos em que vem embalado;
  • os pacotes de batatas fritas;
  • películas para revistas e jornais;
  • película aderente;
  • discos de ligação de latas;
  • sacos de plástico de supermercado.

Resumidamente: é reciclável e pode ser usado sem problemas!

Tipo 5 – PP

O polipropileno é um plástico rígido, resistente a mudanças de temperatura e ideal para conservar comida, sendo, por isso, o tipo de plástico utilizado na produção das Tupperwares. É um material seguro porque não liberta qualquer tipo de componentes. Portanto se já estavas a pensar deitar fora as tuas caixinhas da comida, podes guardá-las e utilizá-las até que se estraguem.

É possível encontrar este tipo de plástico em outros objetos como:

  • tampas das garrafas;
  • embalagens de iogurtes e manteiga;
  • frascos de medicamentos;
  • material médico;
  • e também cosméticos.

Resumidamente: é reciclável e pode ser usado sem problemas!

Tipo 6 – PS

O Poliestireno (PS) é o pior dos plásticos a nível de saúde, contaminação das águas e poluição direta. É um material leve, flexível e capaz de criar isolamento térmico. No entanto, é um dos plásticos que mais tempo leva para se decompor e muito nocivo para a nossa saúde, por libertar uma substância, a styrene, que em contacto com o nosso sistema nervoso pode causar danos muito graves.

Este tipo de plástico está presente em:

  • isolamento para paredes;
  • copos, talheres e pratos de plástico descartáveis;
  • frigoríficos;
  • e esferovite.

Resumidamente: é reciclável, mas deve ser evitado porque é perigoso para a saúde!

Tipo 7 – Outros

O plástico que engloba diferentes tipos de plásticos está sinalizado pelo número 7 e representa um material que, normalmente, não é reciclável, por não se conseguir separar os vários tipos diferentes de plástico.

Além disso, caso não diga BPA-free, estes objetos contêm uma substância prejudicial para a saúde, o Bisfenol (BPA), que é até proibido em alguns países, como o Canadá, a Dinamarca e a Costa Rica. Suspeita-se que este composto esteja relacionado com problemas de infertilidade e de desenvolvimento.

Podes encontrar este tipo de plástico em:

  • garrafas de água reutilizáveis;
  • escovas de dentes;
  • CDs;
  • equipamentos eletrónicos;
  • e garrafas dos biberões dos bebés.

Resumidamente: não é reciclável e deves evitar caso tenha BPA! Procurar BPA-free!

Agora que já conheces os diferentes tipos de plástico, estás pronto para tomar decisões mais conscientes e amigas do ambiente. Mantém-te atento ao nosso blog para continuares a ajudar o ambiente.


Próximas leituras:

Conhece as melhores praias de Portugal?
Queres aproveitar o verão da melhor forma? Elaboramos uma lista com as …
Os 5 melhores destinos para fazer surf em Portugal
Ondas grandes, ondas pequenas, ondas tubulares… Portugal não é só rico em …