Todos os cães, independentemente da sua raça, devem ter uma trela para que possam passear em segurança longe de brigas com outros animais, evitar que se percam e que causem acidentes, ou até mesmo para cumprir as normas legais que obrigam ao uso de trela para cão em diversos locais.

Do tamanho e peso, ao comportamento e idade do animal, sem esquecer os materiais da trela e finalidade de uso, são vários os fatores a ter em conta para uma escolha correta da trela para cães. Descobre como escolher.

Artigo relacionado: Os 10 melhores acessórios para cão

1. O tamanho e peso do cão são os primeiros fatores a considerar

A morfologia e idade do cão são fundamentais para a escolha da trela e não podem ser desvalorizados face aos critérios estéticos, já que uma trela para cão inadequada pode tornar os passeios uma aventura pouco agradável.

Uma trela para cão de porte grande ou uma trela para uma raça pequena não têm as mesmas características. Para cães de raça média ou grande e cães adultos, é indicado que a trela seja mais forte e resistente, já para raças pequenas ou filhotes, a espessura já não é tão importante na decisão.

2. O comportamento do cão dita o comprimento e flexibilidade da trela

O comportamento do cão vai influenciar a escolha do comprimento da trela. Recomendam-se trelas para cão mais curtas e antiderrapantes quando se pretende ter um maior controlo. Esta opção é indicada para cães jovens, que não sabem andar na rua, ou que reagem negativamente a pessoas ou animais desconhecidos, para raças de cães potencialmente perigosas ou simplesmente quando se quer manter o cão por perto, dando-lhe pouca liberdade de movimento.

Por outro lado, uma trela mais comprida permite trabalhar a educação com base em benefícios graças à maior liberdade que este tipo de trela oferece. Estas trelas são especialmente recomendadas para ambientes abertos e passeios ao ar livre, já que permitem ao cão ter espaço, cheirar e descobrir o seu envolvente.

Outra boa opção são as trelas extensíveis, que se enrolam automaticamente para dentro de um suporte de plástico. O comprimento em cada momento varia com o movimento do cão ou as necessidades de quem o leva a passear, proporcionando uma maior liberdade. São adequadas para raças mais pequenas, que não possuem muita força, já que com cães maiores podem partir-se facilmente.

Artigo relacionado: 10 raças de cão que ainda não conhecias

3. Os materiais da trela são um fator determinante na escolha

A segurança e o conforto são os aspetos principais na escolha de uma trela para cão. Além de garantir o controlo sobre o animal e evitar que ele se consiga soltar, deve também proporcionar-lhe conforto em todos os momentos de utilização. Também é esperado que quem acompanha o cão nos passeios se sinta confortável a segurá-la, com preferência para materiais leves e duráveis.

As trelas de nylon são leves, práticas e robustas. O nylon é um material resistente e flexível, o que torna estas trelas adequadas para caminhadas diárias, e até mesmo para corridas. Já as trelas de couro são fortes e de grande durabilidade e, por isso, indicadas para cães com muita força ou de porte médio-grande. Ao contrário das trelas para cão de nylon, as de couro podem ser mais difíceis de encontrar e também mais caras.

As trelas de corrente são uma boa opção para cães com tendência a morder a trela ou brincar com ela. São mais resistentes, mas são limitadas em comprimento. O peso é determinado pelo tipo de metal da corrente.

4. Escolhe a trela para cão em função da finalidade

É importante definir o tipo de utilização pretendida, já que existem diferentes tipos de trelas para cão. Além das mais convencionais, existem modelos específicos para treinar o cão, para praticar desporto, ou trelas anti-puxão.

As trelas de corrida são perfeitas para os amantes do desporto, para que possam sair com o cão, mesmo quando correm ou andam de bicicleta, permitindo que a trela possa ser presa ao corpo e que deixe as mãos livres. Porém, é necessário um treino prévio para garantir que o cão obedece e evitar sofrer algum tipo de acidente.

Existem também trelas para cão que servem para mudar o hábito do cão em puxar, já que possuem um mecanismo que os pressiona sempre que puxam, dissuadindo-os de o fazer. No entanto, é importante reeducar o cão para que ele aprenda a seguir o seu caminho ao lado de quem o acompanha, sem puxar a trela. É normal que os cães tenham esse comportamento, principalmente se não fizerem exercício diário suficiente, o que o pode deixar demasiado excitado na hora do passeio, esquecendo qualquer obediência.

Artigo relacionado: Como escolher a melhor comida para cão

5. Avalia onde colocar a trela no cão

A trela para cão pode ficar presa à coleira de pescoço ou a um arnês, sendo esta segunda opção a mais recomendada, de acordo com as indicações dos profissionais veterinários. A justificação relaciona-se com a facilidade de colocar e retirar a trela, além de que envolvem menos riscos para o animal, desde hematomas no pescoço a desconforto respiratório.

Depois de escolhida a trela adequada, é necessário verificar se o material está em condições, com as costuras reforçadas, para que não se rompam quando, durante um passeio, o cão dá um puxão. É também importante garantir que as alças não estão nem demasiado justas nem folgadas, para evitar que a trela se solte e que o cão fuja.


Próximas leituras:

15 raças de cães pequenos para famílias de todos os tamanhos
Estas são as 15 raças de cães pequenos perfeitas para casas de …
8 melhores praias para cães em Portugal
Existem cerca de 50 praias para cães de Norte a Sul de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.