As lâmpadas LED são uma excelente opção de poupança para o nosso lar. Descobre o que é esta tecnologia e como te pode ajudar a poupar no dia-a-dia.

O que são as lâmpadas LED?

LED ou Light Emitting Diode é a tecnologia de iluminação mais eficiente disponível no mercado. Apresenta várias vantagens face às lâmpadas tradicionais.

Eficiência

A eficiência de cada lâmpada LED está indicada na sua própria embalagem, sendo esta informação obrigatória. Varia de E a A++ e, é nas lâmpadas de classe A+ e A++ que encontras melhor eficiência e menor gasto energético.

As lâmpadas LED praticamente não aquecem, uma vez que as perdas de energia sob a forma de calor são mínimas. Também são mais rápidas, gerando luz automaticamente, sem tempo de espera para que atinja a iluminação completa.

9 dicas para poupar energia

Duração

As lâmpadas LED têm uma longevidade superior a uma lâmpada incandescente. Esta, por norma, tem cerca de mil horas de luz. Uma lâmpada económica tradicional pode chegar aos 10 mil. Já uma LED consegue atingir até 25 mil horas de vida útil.

A duração das lâmpadas LED permite que, a longo prazo, verifiques uma poupança de cerca de 85%, quando comparado com lâmpadas incandescentes. Uma LED que seja utilizada durante 8 horas diárias, pode durar mais de 10 anos, ou seja, reduzes custos de energia e de manutenção.

Sustentabilidade

Com o tempo de vida que uma lâmpada LED consegue alcançar, tornam-se mais sustentáveis, tanto para o teu orçamento como para o ambiente. O facto de poderem ser recicladas também ajuda o planeta. Para além disso, estas lâmpadas permitem uma economia circular e não desperdiçam calor.

Uma casa sustentável poupa na água e na energia

Segurança

As lâmpadas LED não emitem radiações ultravioleta, sendo assim menos prejudiciais para a saúde humana. Como não possuem mercúrio e não emitem radiação infravermelha, a lâmpada está sempre fria e é mais segura.

As lâmpadas LED apresentam uma alta resistência a impactos e vibrações, devido à chamada tecnologia de estado sólido, ou seja, sem filamentos e vidros, o que  aumenta a sua robustez.

Versatilidade

Podes controlar a intensidade da luz das lâmpadas LED, e a tonalidade, de acordo com o ambiente onde as colocas, sendo também compatíveis com quase todos os sistemas de instalação.

Fatores a analisar no momento de escolher uma lâmpada LED

Potência

A potência de uma lâmpada LED é indicada em Lumens (lm), ao contrários das lâmpadas incandescentes, nas quais a medida se apresenta em Watts (W). Em termos de comparação, podes considerar que uma LED de 470lm equivale a 40W de uma incandescente.

A quantidade necessária de luz numa divisão depende do teu objetivo. Se a necessidade for muita luz (leitura, trabalho), deves escolher uma lâmpada com uma potência mais elevada. 

Temperatura

A temperatura da lâmpada LED diz respeito ao tipo de luz e está indicada em Kelvins (K). São consideradas quentes as luzes de tonalidade amarela. Já as lâmpadas que emitem tonalidades brancas e azuis, são catalogadas de “frias”. É também possível encontrar tons intermédios, mais naturais e neutros.

Podes usar lâmpadas LED de diferentes temperaturas, para diferentes ambientes. Em divisões destinadas ao lazer e conforto, como quartos ou a sala, é recomendado o uso de temperaturas quentes, pois transmitem calma, descanso e tornam o ambiente acolhedor. Escritórios, cozinhas ou casas de banho, podem ser cores frias, uma vez que são mais estimulantes. Os valores de temperatura geralmente variam entre 2700k e 5000k.

Ciclo e tempo de vida

Quando maior for o tempo de vida da lâmpada LED que pretendes comprar, menos vezes terás de a substituir, logo, maior a poupança.

No que respeita ao ciclo, tens de considerar o número de vezes que estimas ligar e desligar a luz, uma vez que estas ações interferem no tempo de vida da lâmpada. O ciclo pode variar entre as 5 mil e as 600 mil ações de ligar e desligar.

Ângulo do foco

Ao comprares a tua lâmpada LED não te esqueças de observar o grau de abertura, principalmente se optares pelas de foco direcional. Este ângulo vai permitir que tenhas uma maior incidência sobre uma zona em específico ou, pelo contrário, por uma iluminação global do espaço.

Conector

Antes de escolheres o modelo de lâmpada LED, deves verificar qual o conector que precisas, que deve ser compatível com o encaixe da lâmpada. Os conectores principais são o MR16 ou GU5.3, o GU10, o E14 e, o E27, sendo este último mais comum, em formato de rosca.

Banner com texto e botão para o site: "Encontra tudo o que precisas no OLX"

Como reciclar as tuas lâmpadas LED?

As lâmpadas LED não contêm mercúrio, não emitem poluentes, como o CO2, não têm filamentos ou tubo de vidro, que possa partir, por isso, são recicláveis. Na verdade, 98% dos componentes das LED podem ser reciclados.

Se vais substituir as tuas lâmpadas antigas, não LED, tem em conta que, quando colocadas no lixo, podem partir-se e libertar substâncias perigosas para o ambiente e para a saúde pública. Os vidros de que são compostas, podem ser utilizadas na produção de novas lâmpadas ou outras finalidades.

Assim, para a sua reciclagem, podes recorrer à Electrão – Associação de Gestão de Resíduos e à ERP Portugal, uma vez que são as entidades que gerem o sistema integrado de REEE – Resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, e de RPA – Resíduos de pilhas e acumuladores.

Estas entidades gerem o circuito de recolha e encaminhamento para reciclagem de lâmpadas usadas. Em todo o país também existem locais de recolha exclusivos para lâmpadas.

Renova a decoração da tua casa com lâmpadas decorativas

7 dicas para iluminares a tua casa com lâmpadas LED

  • Sala de estar – Podes utilizar como luz principal umas luminárias de teto ou um feixe de luz quente, para criar um ambiente acolhedor. Combina com focos ou candeeiros de pé. Candeeiros com regulador de intensidade vão permitir que cries a atmosfera à tua medida.
  • Sala de jantar – Opta pelo candeeiro de teto sobre a mesa, ao plano superior dos olhos. Se tiveres uma mesa pequena, o candeeiro deve ficar justo ao teto. Para uma mesa grande, podes apostar em lâmpadas pendentes. Se a tua mesa é circular, então recomendamos um pequeno grupo de lâmpadas suspensas a várias alturas.
  • Cozinha – Esta é uma divisão onde queremos ter bastante luz, para conseguir ver tudo com facilidade. Opta por uma temperatura entre 4 e 6.000k para a luminária. Se tiveres um cantinho do café ou uma ilha, aposta numa lâmpada de teto suspensa sobre a zona. Na bancada reforça com focos ou fitas LED instaladas na parte baixa dos móveis superiores.
  • Quartos – Dependendo do tipo de teto que tenhas, podes iluminar os quartos com focos encastráveis. Nas mesas de cabeceira, coloca um candeeiro de pé ou de parede. Aqui também funcionam bem candeeiros com regulador de intensidade.
  • Casas de banho – Focos no teto das casas de banho permitem ampliar a iluminação. Não te esqueças que fitas LED em cima e nos lados do espelho aumentam a claridade e eliminam sombras indesejáveis.
  • Corredores e halls – Os focos com ajuste de direção tornam-se a opção ideal, uma vez que permitem localizar o foco da luz para pontos específicos. Nestes espaços da casa importa escolher um bom ângulo de abertura.
  • Espaços exteriores – Dependendo do tipo de espaço, se é varanda, terraço ou jardim, existem várias opções, desde focos de teto ou chão, luminárias ou lanternas fixas. Existem também focos LED submergíveis, caso tenhas piscina para iluminar. Podes também dar asas à criatividade e conjugar diferentes modelos e cor de luz.

Agora que sabes toda a informação relevante sobre as lâmpadas LED, avança com a tua escolha ecologicamente correta e compra o material que necessitas para realizares a mudança na tua casa, desde casquilhos às lâmpadas. Encontras tudo no sítio do costume, o OLX.


Próximas leituras:

Aerotermia: a alternativa sustentável para o conforto da tua casa
A aerotermia está a revolucionar o controlo de temperatura nas nossas casas. …
Batch cooking: poupa tempo e diminui o desperdício
Cansado de cozinhar todos os dias? O batch cooking é uma técnica …

10 comentários a “Como escolher as lâmpadas LED para a tua casa?”

  1. Maria do Céu Fernandes diz:

    Mais uma vez me comprazo com al leitura dos vossos artigos.
    Fáceis de entender e bastante esclarecedores.
    Obrigada por mais esta Aprendizagem que certamente irei utilizar!
    Bem-Hajam!
    Cumprimentos.

  2. João Martins dos Santos diz:

    Julguei que iria encontrar aqui onde se compra o produto mais adequado

  3. Margarida Vieira diz:

    Muito obrigada pelas vossas ajudas, sempre esclarecedoras e valiosas. Bem hajam!

  4. Ângela Antunes diz:

    Muito útil.
    Muito obrigada.
    Irei seguir as indicações
    Grata
    Ângela

  5. Camase diz:

    Muito bom artigo, espero a sua continuidade.

  6. Manuel Santos diz:

    Concordo com tudo o que está dito sobre este modo de ilumonação/poupança, mas…
    Pessoalmente tenho mau resultado da experiência, a saber:
    As lâmpadas tubulares (substitutas das floorescentes), cá em casa, avariam muito frequentemente, e daso o preço, não vi ainda onde está a poupança.
    Acresce a falta de garantia do produto.
    Tenho mais de uma dúzia destas avariadas.
    Tirem as v. conclusões

  7. Assunção Fereira diz:

    Obrigada por estas informações há muito tempo que susubstituie todas as lâmpadas por lâmpadas led,para além de serem ais econômicas são menos puluentes,para mim é mais importante não puluir este velho planeta, ara que os meus netos vivam com mais qualidade obrigada

  8. Eduardo Pinheiro diz:

    Mas afinal as mais amarelas São as de 2700 ou as de 5000 Kelvin?

  9. Antonio Semião diz:

    Gostei, muito bem escrito, explicado

  10. Florival Viegas Justo diz:

    Boas dicas – Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *