Uma das melhores estradas para partir à descoberta do Norte do país é a Nacional 222 (N222), que liga Vila Nova de Gaia a Almendra, quase sempre ao longo da margem do rio Douro.

A rota do Douro oferece pelo menos 13 miradouros, e chega a atingir 900 metros de altitude, com paisagens de cortar a respiração, que obrigam a parar e apreciar as vistas do nascer ao pôr do sol.

Onde tudo começa

O ponto de partida para descobrires a rota do Douro são as caves de Vila Nova de Gaia e a baixa do Porto. A foz do rio é o melhor sítio para fazeres à estrada que em 2015 foi eleita como a “Estrada mais bonita do mundo”, a N222.

A nacional tem uma grande variedade de pontos de interesse. Se vais começar a tua roadtrip na zona ribeirinha de Porto e Gaia, recomendamos que observes com calma as seis pontes que ligam as duas cidades. Depois, lança-te à aventura. Se precisas de mais motivos para partir à aventura, aqui tens 3 motivos principais para seguir a rota do Douro.

3 motivos para partires à descoberta da rota do Douro

  • O Douro é mais do que um pedaço de terra onde a vinha é predominante. Vais descobrir o Douro superior (região de Foz Côa), no Cima Corgo (região do Pinhão) e no Baixo Corgo (região da Régua). De carro consegues percorrer o Douro, de uma ponta a outra;
  • Vais dirigir pela “estrada mais bonita do mundo”, a Nacional 222 que, para além de te oferecer um cenário repleto de vinhas e oliveiras, permite passar junto ao rio e descobrir belezas naturais típicas da região;
  • Os miradouros que vais encontrar durante a rota do Douro vão-te deixar totalmente envolvido nas paisagens deslumbrantes. Dizem que se consegue a melhor vista sobre o rio Douro e Pinhão no Miradouro de Casal de Loivos.

Já tens máquina fotográfica para registar todos os momentos da tua viagem?

Qual a melhor altura do ano para fazer a rota do Douro?

Para viajantes amantes de vinho ou curiosos sobre de vindimas, esta pode representar a melhor altura do ano para partir à descoberta do Douro. O outono é o culminar do trabalho de um ano inteiro e podes assistir ao nascimento de grandes vinhos. No entanto, deves ter em conta alguns fatores como:

Clima

Entre julho e setembro as temperaturas são muito elevadas, alcançando facilmente a proximidade dos 40ºC. A humidade também é elevada, aproximadamente em 70%. 

Para quem pretende percorrer a rota do Douro de carro, deve evitar esta altura, sendo que o ideal é realizá-la entre finais de abril e meados de maio ou finais de outubro e meados de novembro.

Época das vindimas

Esta pode oscilar consoante a influência do clima no crescimento das vinhas. Geralmente ocorre entre agosto e outubro. Se o teu objetivo for também participar nas vindimas no Douro, então está atento e não percas a oportunidade.

Na hora de selecionar as vinhas a visitar, tenta resistir à tentação de ver várias por te parecerem próximas umas das outras. Apesar das distâncias curtas entre si, as estradas são bastante estreitas e a condução exige cuidados o que aumenta o tempo para chegar a cada uma delas.

Já tens um GPS à medida? Encontra-o aqui!

Tipo de temporada

Férias em temporada alta arriscam congestionamentos nas estradas, preços mais elevados nos hotéis e a necessidade de marcar atividades (como a participação e visita às vinhas) com maior antecedência. A rota do Douro não é exceção.

Alojamento

Ficar ou não alojado no Douro vai depender do objetivo da tua viagem, do teu perfil enquanto viajante e, claro está, do orçamento que tens disponível na tua roadtrip. 

Se pretendes partir de manhã e voltar à noite aos centros urbanos, podes procurar alojamento aí. Se queres experienciar ao máximo a tua passagem pela rota do Douro, então recomendamos que procures um alojamento local.

Encontra aqui a tua casa de turismo rural!

4 quintas para incluíres no teu itinerário no Douro

São tantas e tão deslumbrantes que é impossível listar todas as quintas. No processo de escolha, podes ter em conta alguns critérios como o cenário que a quinta te oferece, a localização ou Vinho do Porto, caso este seja o teu principal interesse nesta viagem pela rota do Douro.

1. Quinta do Vallado

É uma das mais antigas e melhores vinícolas do Douro, por isso, trata-se de uma paragem obrigatória. Fazem visitas guiadas pela quinta, com especialistas em enologia que te vão explicar todo o processo de produção do vinho.

Podes fazer uma prova de vinhos tintos, como o Sousão ou o Field Blend e, claro está, um vinho do Porto. Aqui encontras tours todos os dias.

2. Quinta da Pacheca

É considerada por muitos como uma das melhores quintas vinícolas na rota do Douro. Para além das provas de vinho, organizam também casamentos, show cookings, cooking class, piqueniques e participação nas vindimas. E sabias que nesta quinta podes passar a noite dentro de um barril de vinho?

Nas provas de vinho, podem oferecer-te vinhos branco, tintos e alguns vinhos do Porto de excelente qualidade. Sempre que possível, as provas realizam-se ao ar livre.

3. Caves da Murganheira

És fã de espumantes? Então as Caves da Murganheira podem mesmo ser o ex-líbris da tua viagem pela rota do Douro! Na visita vais aprender o processo de produção de espumante, segundo o método tradicional, e no fim tens direito a uma prova.

Uma das vantagens de visitar a Murganheira é o facto de ficar muito perto da aldeia vinhateira de Ucanha, ideal para quem procura um dia no Douro que tenha mais para oferecer para além das provas de vinhos.

4. Quinta do Tedo

Nesta quinta encontras as uvas classificadas como classe “A”, a mais elevada segundo o Instituto dos Vinhos do Douro e Porto. Como tal, nela encontras bebidas de excelente qualidade, mesmo se fores o visitante mais exigente.

Está aberta ao público todos os dias.

Se queres saber mais sobre vinhos, que tal uma leitura antes da viagem?

Rota do Douro pela N222 – de Gaia ao Pinhão

Visitar o Douro com as cores do outono é sinónimo de memórias inesquecíveis. Nesta época, a temperatura revela-se a ideal para realizar os 150 km com serenidade, gastronomia, beleza paisagística e o rio Douro sempre ao teu lado.

Cinfães do Douro

A primeira paragem da rota do Douro é Cinfães do Douro. Aqui podes experimentar fígado de porco cozido ou os rojões à moda de Cinfães. Conta visitar a Capela de São Pedro do Campo e as Muralhas das Portas, na serra de Montemuro.

Podes ainda incluir no roteiro o parque megalítico de São Pedro ou as 12 igrejas matrizes que existem ao redor de Cinfães. Não te venhas embora sem observar a Ponte de Soutelo sobre o rio Bestança.

Resende

Mais adiante de Cinfães, encontras Resende, conhecida pela sua riqueza de património. Não deixes de visitar a Torre da Lagariça, imortalizada por Eça de Queiroz, no ano de 1900, em “A Ilustre Casa de Ramirez”, a Igreja e Castelo de São Martinho de Mouros e as Caldas de Aregos.

Peso da Régua

Após curvas e mais curvas, vindo de Resende, encontras o Peso a Régua, a capital do Douro e a mais antiga região demarcada do mundo, que conta já com 261 anos. Para muitos, é o ponto alto da viagem pela rota do Douro.

Assistir ao pôr do sol é uma experiência inesquecível. Para além disso, o Solar do Vinho do Porto, a Casa do Douro e os vários armazéns de vinho também merecem visita.

Não te esqueças de parar para respirar no Miradouro de São Leonardo da Galafura ou no Miradouro de Casal de Loivos.

Prepara o teu carro para uma viagem sem imprevistos!

É possível visitar o Douro saindo de manhã cedo do centro urbano e regressando apenas à noite. Mas, se te for possível, reserva entre 3 e 4 dias para conheceres em pleno esta fantástica zona do Norte de Portugal.

E se quiseres aventurar-te a percorrer a rota do Douro de autocaravana, sabe que no OLX encontras o melhor negócio!


Próximas leituras:

Dia Mundial do Puzzle: puzzles para todas as idades
O Dia Mundial do Puzzle é já a 29 de janeiro. A …
8 artigos colecionáveis que valem uma pequena fortuna
Sabias que os teus brinquedos antigos podem valer muito dinheiro? Verifica se …

Um comentário a “Rota do Douro: vem ver as folhas a mudar de cor!”

  1. Luis Franco diz:

    Lindo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *