Esquentador ou cilindro? São várias as dúvidas que surgem quando chega o momento de escolher, nomeadamente quando estão em causa poupanças significativas ao fim do mês. Cada um possui características únicas, um modo de funcionamento distinto e benefícios e limitações que vale a pena conhecer. Descobre como escolher o melhor equipamento de água quente.

Esquentador ou cilindro: prós e contras do esquentador

O esquentador produz água quente através da combustão de gás. Esta é uma das suas principais características e por isso a escolha deste equipamento obriga a que primeiro se decida entre eletricidade ou gás.

Este equipamento tem várias vantagens e desvantagens importantes.

Vantagens do esquentador

Menos consumo, espaço, e água quente mais depressa. Estas são, de forma resumida, as principais vantagens de optar por um esquentador:

  • Com o esquentador, a água quente dura mais. Para quem tem uma família numerosa, ou vive com outras pessoas, a gestão da água quente é um desafio. Com um cilindro, no final de um ou dois banhos, a água pode faltar. Esse problema não se coloca com um esquentador. A água correrá sempre quente enquanto houver combustível (gás botija ou natural).
  • Água quente mais depressa. O esquentador permite a produção instantânea de água quente, mal abres a torneira. Este gesto é detetado pelo sistema e inicia-se o processo de passagem de gás ao queimador.
  • O consumo de energia é inferior. Com o esquentador, o consumo de energia ocorre apenas quando a água quente está a ser usada. Quando não está a ser utilizado, não tem custos associados.
  • O esquentador exige menos espaço. Regra geral, os esquentadores são mais pequenos e exigem menos espaço de montagem do que um cilindro.
  • Poupa na fatura da energia. O preço da eletricidade está mais elevado do que o gás, com tendência de subida. Por isso, o esquentador é a opção que pode sair mais barata, dependendo da utilização, mas menos amiga do ambiente, porque o gás não é um recurso renovável.

Apesar destas vantagens, existem importantes contras a avaliar.

Desvantagens do esquentador

Uma instalação mais complexa, um menor caudal e a incapacidade para responder a utilizações simultâneas são algumas das principais desvantagens do esquentador. 

  • Instalação complexa. Uma vez que funciona a gás, o esquentador requer uma instalação mais cuidada.
  • Menos caudal de água quente. O método de funcionamento do esquentador obriga a reduzir o caudal da água quente para que possa ser aquecida. Por isso, o caudal da água quente é inferior ao da água fria.
  • O esquentador pode não permitir que utilizações em simultâneo. Os modelos mais comuns, com capacidade até 17 litros, muitas vezes não permitem que várias pessoas utilizem água quente.
  • Dificuldade na regulação exata da temperatura. Com o esquentador não é possível garantir de forma exata a temperatura da água aquecida.

Artigo relacionado: Guia para comprar eletrodomésticos usados

Como escolher um esquentador

Se o esquentador é a melhor opção para ti, estes são os fatores mais importantes a ter em conta na hora da escolha.

#1 Tipo de combustível

Existem três opções de combustível para o funcionamento dos esquentadores: o gás propano, o butano e o natural. O propano e butano estão disponíveis em garrafa, e exige em casa as condições certas para as armazenar. Já o gás natural, obriga a um acesso à linha de gás. Deves escolher a opção de acordo com a instalação em casa.

#2 Tipo de exaustão

Existem diferentes esquentadores com diferentes tipos de exaustão, ou seja, a saída de gases de combustão. Para locais com boa ventilação são recomendados os esquentadores atmosféricos. Para espaços com boa admissão de ar, mas insuficientes na exaustão, são aconselhados esquentadores ventilados. Onde se verifica insuficiente admissão de ar e exaustão deve-se optar por um esquentador estanque.

#3 Tipo de ignição

Para que aconteça a combustão entre o gás e a chama é necessário existir um sistema de ignição manual ou automático.

O sistema manual envolve uma ignição através de fósforo, ou outro sistema que permita a ignição da chama. Como não é automático, é necessário ligar de cada vez que precisares de água quente.  É uma opção menos prática, menos segura e pouco comum atualmente.

Dentro do sistema automático, podes encontrar a opção por isqueiro a pilhas ou através de gerador. O primeiro possui um sistema que se liga automaticamente, através de uma pilha, quando a torneira é aberta. Este sistema apresenta uma maior segurança, uma vez que a chama piloto é apagada assim que a torneira é fechada.

Os esquentadores com ignição através de gerador utilizam a pressão de água numa turbina que gera energia e liga o sistema eletrónico, que permite o aquecimento de água. Este equipamento não precisa de pilhas para acionar o sistema e não mantém a chama ligada quando não precisa, evitando também consumos de gás desnecessários.

#4 Utilização simultânea

Se pretendes utilizar o esquentador em simultâneo na cozinha e na casa de banho deves ter em conta a quantidade de litros que o esquentador consegue aquecer por minuto. Para uma habitação onde não haja a necessidade de utilização de água quente em simultâneo, o ideal são esquentadores com uma capacidade entre 11 e 15 litros. Para utilizações simultâneas recomenda-se esquentadores com mais de 17 litros.

Artigo relacionado: Casa inteligente: 9 dispositivos para poupar energia

Esquentador ou cilindro: prós e contras do cilindro

O cilindro ou termoacumulador funciona com energia elétrica. É um reservatório de água que possui no seu interior um uma resistência elétrica, que aquece a água, e um termóstato que regula a temperatura, evitando que aqueça demais.

Estas são as principais vantagens e desvantagens.

Vantagens do cilindro

O cilindro é a opção ideal para quem procura um equipamento preciso, de maior caudal de água quente, mais seguro e amigo do ambiente.

  • Mais preciso. A temperatura no cilindro pode ser facilmente regulável de forma precisa.
  • Maior caudal de água quente. Ao contrário do esquentador, podes ter o mesmo caudal de água quente e fria.
  • Mais amigo do ambiente. Por não utilizar gás, o cilindro é a opção mais amiga do ambiente, se a eletricidade consumida for originária de fontes renováveis.
  • É possível poupar na fatura elétrica. Apesar da eletricidade ser mais cara, muitos modelos podem ser programados para se ajustarem às tarifas bi-horárias, permitindo o uso de água aquecida no período em que a eletricidade é mais barata.
  • O cilindro é mais seguro porque não utiliza gás. Como não recorre a gás, não há risco de fugas que são difíceis de detetar e perigosas para a saúde.

Antes de tomar uma decisão entre esquentador ou cilindro, confere as desvantagens.

Desvantagens do cilindro

A principal desvantagem do cilindro é o maior consumo de energia, durante mais tempo. Como o custo da eletricidade é mais elevado e tem vindo a subir, a decisão entre esquentador ou cilindro nota-se na conta ao final do mês. Estas são as principais desvantagens:

  • Gasta mais energia. O cilindro exige um consumo constante de energia para manter a água quente, mesmo que não esteja a ser utilizada.
  • É mais lento a aquecer a água. Este equipamento necessita de um tempo de espera até que a água aqueça e possa ser utilizada.
  • A quantidade de água quente é limitada. Para famílias grandes, o cilindro não é a melhor opção uma vez que a quantidade de água aquecida é limitada à capacidade do reservatório.
  • Ocupa mais espaço. Tipicamente, os modelos de cilindros ocupam mais espaço do que um esquentador, devido ao tamanho do reservatório.

Como escolher um cilindro

Se o cilindro é a opção para ti, existem vários fatores a ter em conta na hora de escolher um modelo.

#1 Potência adequada

Quanto maior for a potência do termoacumulador mais rápido será o aquecimento da água até chegar à temperatura pré-definida. Porém, é essencial que possuas também uma potência contratada adequada ao equipamento escolhido. Assim, o quadro elétrico não está constantemente a disparar. Caso seja necessário, aumenta a potência contratada.

#2 Capacidade

Existem cilindros de diversas capacidades e, portanto, deves optar pela que melhor se adequa às tuas necessidades em litros de água quente. Efetua este cálculo conforme o número de pessoas que habitam a casa – normalmente, é considerado o consumo de 40 litros (a cerca de 65ºC) por cada elemento da família, por dia.

#3 Volume

O volume de um cilindro é, geralmente, bastante maior do que o de um esquentador. Por isso, é importante garantires que tens espaço suficiente na divisão onde pretendes colocá-lo.

Informa-te sempre das medidas (altura e diâmetro) para teres a certeza de que vai caber no espaço disponível. Atualmente, já existem termoacumuladores de montagem horizontal em vez da tradicional montagem vertical que podem facilitar esta questão.

#4 Eficiência

Se possível, opta por equipamentos com a etiqueta energética mais eficiente possível. Esta escolha tem impactos a nível ambiental e vai permitir uma poupança significativa na fatura da eletricidade. O cilindro é um equipamento que permanece sempre ligado.

Esquentador ou cilindro? Encontra a tua opção no OLX

A decisão entre esquentador ou cilindro depende de vários fatores, como a escolha entre gás e eletricidade, o espaço disponível, o número de pessoas em casa, e a ventilação do espaço. Mas qualquer que seja a decisão final, os equipamentos ao melhor preço estão no OLX.


Próximas leituras:

Como fazer panquecas em casa
Descobre como fazer esta receita clássica de panqueca em casa e todos …
Nintendo Switch: tudo sobre a consola da Nintendo
A Nintendo Switch é uma consola fantástica para todos os tipos de …

5 comentários a “Esquentador ou cilindro: qual escolher?”

  1. Joao diz:

    Talvez fosse útil referir também o preço do gás e da electricidade de forma a permitir a comparação dos custos de funcionamento de cada equipamento.
    O gás natural custa 0,07 €/kWh
    O gás propano custa 0,15 €/kWh
    A electricidade custa 0,22 €/kWh

  2. Luispereira diz:

    Acerca do gás da Leonina

  3. Ernesto Azevedo diz:

    Fiquei a saber que existem cilindros mais modern os e ecologicos

  4. Carla diz:

    Deve-se desligar o cilindro e ligar apenas um tempo antes quando se vai utilizar?
    Ou manter ligado?
    Qual o menor custo.
    Obrigada

  5. Carlos Francisco Boavista Fernandes Carlos diz:

    De referir que há (houve?) termoacumuladores que não são cilíndricos. Têm a largura e fundura de um esquentador. Eu tenho um. São rectangulares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *